FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RIO GRANDE
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FISIOLÓGICAS

FISIOLOGIA HUMANA
Curso:  Medicina


I. IDENTIFICAÇÃO

1.1. Créditos: 12

1.2. Carga Horária Total: 180 horas/aluno

1.3. Período Letivo: ANO 2002

1.4. Professores:

Christiane Guilherme

Elton Pinto Colares

Fernando Martines Cardone

Pablo Elías Martínez (Responsável)

 

II. OBJETIVOS DO CURSO

A disciplina de Fisiologia Humana para Medicina tem como objetivo geral capacitar o aluno para o curso profissionalizante, através da compreensão do funcionamento normal de diferentes órgãos e sistemas do corpo humano.

Para tanto o aluno deverá:

Demonstrar conhecimentos básicos relativos aos mecanismos fisiológicos envolvidos na homeostasia.

Apresentar atitudes adequadas no tratamento com seres vivos.

Demonstrar curiosidade e sentido de observação na descoberta de fenômenos fisiológicos.

Treinar habilidades psicomotoras através de trabalho prático.

 

III. DESENVOLVIMENTO DO CONTEÚDO

 CURSO TEÓRICO:

TURMAS A, B e C
2a-feira das 07:45 às 09:25 horas
5a-feira das 07:45 às 09:25 horas

CURSO PRÁTICO:

TURMA C  -  2a-feira das 10:35 às 12:15 horas
TURMA B  -   4a-feira das 10:35 às 12:15 horas
TURMA A  -   5a-feira das 10:35 às 12:15 horas

"Nunca considerem seu estudo como uma obrigação, mas sim como uma oportunidade invejável de aprender sobre a influencia libertadora da beleza no domínio do espirito para seu prazer pessoal e para proveito da comunidade a qual pertencera seu trabalho futuro"  ALBERT EINSTEIN

IV. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

 

Mês

Dia

Teóricas

Práticas ou Demonstrativas

Prof Responsável

Junho

 

03

06

Abertura do curso.

Fisiologia do neurônio - Sinapse .

Introdução às aulas práticas

Pablo

Cardone

 

10

 

13

Fisiologia do neurônio - Junção mioneural.

Fisiologia do músculo esquelético.

Estudo do Nervo e Placa Motora

 

Cardone

 

17

20

Fisiologia do músculo liso.

Neurofisilogia: Organização do SN.

Músculo - Ergografia

Cardone

 

 

24

27

Receptores sensoriais.

 Sensações somáticas I e II

Sistema sensorial

Pablo

 

Julho

01

04

Controle das funções motoras

Cerebelo

Rã espinhal e descerebrada

Pablo

 

08

11

Gânglios da base

Córtex Cerebral

Reflexos de Equilíbrio

Pablo

 

15

18

Sistema Límbico e sono

S. N. Autonômico e Fluxo sanguíneo cerebral

Estudo dirigido neurofisiologia

 

Pablo

 

22

25

1° Prova Parcial

Aparelho Respiratório: Introdução

Estudo dirigido neurofisiologia

 

Cardone

 

29

01

Ventilação e circulação pulmonar

Mecânica respiratória

Espirometria e pneumografia

Cardone

Agosto

 

05

08

Intercâmbio gasoso

Regulação da respiração

Regulação da respiração no cão

Cardone

 

12

15

Aparelho digestório

Transporte e mistura dos alimentos

Duodeno isolado no coelho

Pablo

 

19

22

Funções secretoras

Digestão e absorção

Estudo dirigido de digestório

Pablo

 

26

29

Distúrbios gastrointestinais

Fisiologia Renal

Estudo dirigido de digestório

Pablo

 

Setembro

02

05

Filtrado glomerular

Controle da osmolaridade do LEC

Estudo dirigido de renal

Pablo

 

09

12

Regulação da volemia e excreção

Equilíbrio ácido-base. Doenças renais

Estudo dirigido de renal

Pablo

 

16

2° Prova Parcial

 

 

 

 

Mês

Dia

Teóricas

Práticas ou Demonstrativas

Prof Responsável

 

Outubro

14

17

Introdução ao Sistema cardiovascular. Miocárdio e excitação rítmica do coração.

 

Christiane

 

21

24

Visão geral da circulação

Distensibilidade vascular e funções dos sistemas arterial e venoso.

Propriedades funcionais do coração

Christiane

 

31

Microcirculação e sistema linfático - controle local e regulação humoral.

 

Christiane

Novembro

04

07

Regulação da pressão arterial.

Débito cardíaco, retorno venoso e suas regulações.

Fonocardiografia

Christiane

 

11

 

14

Fluxo sanguíneo muscular e débito cardíaco durante o exercício.

Insuficiência cardíaca.

PSA no homem

Christiane

 

18

21

 Válvulas e Bulhas cardíacas.

 Choque circulatório e a fisiologia de seu tratamento.

Regulação da PSA no cão

Christiane

 

25

28

Fisiologia do sangue

Leucócitos e inflamação

Estudo dirigido de Cardiovascular

Christiane

Cardone

 

Dezembro

02

05

Imunidade e alergia

Grupos sanguíneos e transfussão

Estudo dirigido de hematologia

Cardone

 

09

12

Hemostasia e coagulação

3° Prova Parcial

Estudo dirigido de hematologia

Cardone

 

16

19

Fisiologia endócrina

Hipófise e pineal

Estudo dirigido de endocrinologia

Cardone

 

Janeiro

06

09

Aparelho reprodutor masculino

Aparelho reprodutor feminino

Estudo dirigido de fisiologia da reprodução

Pablo

 

13

16

Pâncreas

Tireóide

Ação da insulina em camundongos

Cardone

 

20

23

Paratireóide

Glândula Adrenal

Estudo dirigido de endocrinologia

Cardone

 

27

30

Sentido da visão

Sentido da visão

Óptica Fisiológica

Elton

 

Fevereiro

03

06

Sentido de Audição

Sentidos químicos

Audiometria

 

Pablo

 

13

4° Prova Parcial

 

 

 

 

V. INSTRUCÕES  PARA SEREM OBSERVADAS PELOS ALUNOS DO  CURSO PRÁTICO

           Desejamos que a presente vivência neste laboratório torne-se mutuamente proveitosa para os senhores alunos e para os que nele trabalham.

           PARA TANTO PEDE-SE: 

·       Comparecer na respectiva turma.

·       A troca de turma só será permitida quando for requisitada com antecedência e com aprovação do responsável da Disciplina. O aluno devera trocar com um colega e comunicar  ao Setor por escrito.

·       Usar SEMPRE avental nos laboratórios.

·       Não fumar nos laboratórios.

·       Cuidar do material.

·       Não utilizar o que não houver sido explicado.

·       Não trocar o material de mesa.

·       Desligar os fios que conectam aparelhos e mesas à corrente geral apôs o termino dos trabalhos.

·       Limpar e secar cuidadosamente todo o material deixando-o exatamente como encontrou.

·       Afim de que o trabalho seja devidamente executado pede-se que os alunos dos diversos grupos dividam a sua tarefa:

·       Lembrar sempre que estão trabalhando com seres vivos que devem ser, acima de tudo, respeitados. O tratamento dispensado aos animais pode refletir-se nos resultados dos experimentos.

·       Como numa pesquisa, um trabalho de laboratório não esta completo até que os dados obtidos tenham  sido registrados, analisados e discutidos.

 

                          NOTA IMPORTANTE:

      Para o bom aproveitamento do curso prático e necessário que o aluno estude o assunto antes, a fim de que possa realmente acompanhar, entender e comprovar o tema abordado.

 VI. AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO ACADÊMICO

 A avaliação será realizada de acordo com as normas vigentes na FURG (Sistema I) e compreenderá 4 Provas Parciais, os conteúdos serão acumulativos (ver Programação para as datas já definidas).

O exame final, para os alunos que tenham que realizá-lo, será escrito e compreenderá todo o conteúdo apresentado no ano.

 VII. BIBLIOGRAFIA-

 AIRES, M.M. Fisiologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 2a Ed. 1999.

BERNE, R.M.; LEVY, M.N. Fisiologia. 4a Ed.; Rio de Janeiro; Guanabara Koogan, 2000.

GANONG, W.F. Fisiologia médica. 17a Ed.; Rio de Janeiro; Guanabara Koogan, 1998.

GOODMAN, H.M. Basic Medical Endocrinology. 2ond Ed.; New York; Raven Press, 1994.

GRIFFIN, J.E. & OJEDA, S.R. Texbook of endocrine physiology. 2ond Ed.; New York. Oxford University press, 1992.

GUYTON, A.C.; HALL, J.E. Tratado de fisiologia médica. 10a Ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2002.

JOHNSON, L.R. Fundamentos de fisiologia médica. 2a Ed; Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

TEPPERMAN,J. Fisiologia Endocrina e Metabolica.  Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 1977

VANDER, A.J.,SHERMAN, J.H. & LUCIANO, D.S. Fisiologia Humana. Sao Paulo, Mc Graw-Hill. 1980.

 Além destas, podem e deve ser consultada uma série de outras publicações existentes, tanto na Biblioteca Central como nas Bibliotecas Setoriais, voltadas para aspectos fisiológicos mais específicos. Para informações adicionais consulte o professor.

 

 
Webmaster:
Euclydes A. Santos